Rede dos Conselhos de Medicina
Após alerta do CRM-AC sobre possíveis danos à saúde pública, prefeitura desinstala cabine de desinfecção em rodoviária de Rio Branco
Qua, 23 de Setembro de 2020 19:10

Após o Conselho Regional de Medicina do Acre (CRM-AC) fazer um alerta e acionar o Ministério Público do Estado, a prefeitura de Rio Branco desinstalou a cabine de desinfecção humana que tinha sido fixada na Rodoviária Internacional da capital. O equipamento era supostamente usado como uma medida de proteção contra o novo coronavírus.

No último dia 14 de agosto, o CRM-AC enviou um ofício ao MP-AC pedindo que tomasse providências para evitar consequências danosas à saúde pública por conta da cabine. Em resposta, a prefeitura informou que o equipamento foi desinstalado e que a Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito (RBTrans) recebeu a cabine por meio de sessão de uso e, portanto, não houve nenhum gasto ao erário.

No documento enviado ao MP-AC, o CRM citou a nota técnica da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), na qual afirma “faltar evidências científicas” de que o uso de estruturas como câmaras, cabines e túneis para desinfecção de pessoas tenha eficácia, enquanto medida preventiva contra o novo coronavírus.

Além disso, a Anvisa destaca que a utilização desse tipo de estrutura pode dar às pessoas uma falsa sensação de segurança, levar ao relaxamento das práticas de distanciamento social, de lavagem das mãos frequente com água e sabão, de desinfecção de superfícies e outras medidas de prevenção.

Outra observação é que a cabine utiliza diversos produtos químicos, tais como: hipoclorito de sódio, dióxido de cloro, peróxido de hidrogênio, quaternários de amônio, ozônio, iodo, triclosan, clorexidina, entre outros, que podem ser danosos à saúde da população, uma vez que são aplicados diretamente na pele e nas roupas.

No mês de junho deste ano, a prefeitura da cidade de Manoel Urbano, no interior do Acre, cancelou a compra de duas cabines de desinfecção de pessoas após o CRM-AC pedir providências do Ministério Público, que notificou a gestão do município.

 
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner