Rede dos Conselhos de Medicina
Diretoria do CRM se reúne com Sesacre, MPE e Sindmed para tratar sobre o sistema público de Saúde do AC durante pandemia
Qua, 20 de Maio de 2020 12:00

Reunião ocorreu nesta terça (17)

A diretoria do Conselho Regional de Medicina do Acre (CRM-AC) se reuniu nesta terça-feira (19), por videoconferência, com a Secretaria de Estado de Saúde, além de representantes do Ministério Público do Estado e Sindicato dos Médicos (Sindmed) para tratar sobre a atual situação do sistema público de Saúde do Acre para o enfrentamento da pandemia do novo coronavírus.

O encontro aconteceu no dia em que o Acre registrou um novo recorde de testagens positivas para coronavírus em menos de 24 horas. Segundo boletim da Secretaria de Estado de Saúde do Acre (Sesacre), foram 248 novos infectados pelo vírus nesta terça, o número oficial de contaminados saltou de 2.234 para 2.482 pessoas.

Além dos membros da diretoria do CRM, a reunião contou com a participação do promotor de Saúde do Ministério Público, Glaucio Oshiro; do promotor Daisson Gomes; do secretário de Saúde Alysson Bestene; secretária adjunta de Saúde do Acre Paula Mariano; dos representantes do Sindmed e médicos responsáveis pela empresa Medial contratada emergencialmente pela Sesacre para o gerenciamento de leitos de UTI do Instituto de Ortopedia e Traumatologia do Acre (Into).

A presidente do CRM, doutora Leuda Dávalos, afirmou que o objetivo do encontro foi alinhar as ações que estão sendo desenvolvidas pelas instituições no combate ao novo coronavírus e, assim, garantir que os profissionais de saúde que estão na linha de frente estejam equipados de forma adequada para assegurar a segurança de todos e melhor atendimento à sociedade.

“O CRM tem feito fiscalizações nas unidades de saúde de todo o estado, verificando tanto a situação do fornecimento dos EPIs aos profissionais quanto a infraestrutura das unidades. Além disso, nós fizemos um trabalho de conscientização da população para importância do isolamento social nesse momento, com vídeos de médicos alertando a população para que fique em casa. Outra medida é uma parceria com a Rede Amazônica Acre, onde diariamente médicos estão tirando dúvidas da população a respeito da Covid-19 nos telejornais. Assim como o treinamento de profissionais de saúde do interior do estado com relação ao manejo de vias aéreas de pacientes contaminados pelo coronavírus. Acredito que temos que reforçar ainda mais essas ações de conscientização da população sobre o isolamento social, que neste momento é a maneira mais eficiente para o combate dessa doença e, por isso, chamamos vocês para que, juntos, a gente possa enfrentar essa situação”, disse a presidente.

O grupo discutiu ainda com relação à transferência de pacientes diagnosticados com coronavírus internados no Pronto-Socorro de Rio Branco para o Into que começou a ocorrer na semana passada. A unidade deve passar a ser tratada como referência para diagnóstico e tratamento dos casos mais críticos da doença e o PS deve passar a servir como hospital de retaguarda, assim como a UPA do Segundo Distrito.

A conselheira federal do Acre, doutora Dilza Ambros, questionou a Sesacre com relação a situação da oferta de EPIs aos médicos e demais profissionais de Saúde e também ressaltou que o CRM está a disposição para contribuir por meio do Programa de Educação Médica Continuada para o treinamento dos profissionais no que diz respeito ao atendimento dos pacientes com coronavírus.

Após os questionamentos, o responsável pela equipe médica da Medial, o médico Ilson Lara falou sobre a chegada de equipamentos para atendimento dos pacientes com Covid-19 e instalação dos leitos no hospital. Ele deu ainda um panorama geral sobre a estrutura do Into.e o fluxo de pacientes do pronto-socorro de Rio Branco para o Into. Segundo ele, a unidade recebeu médicos de Goiás e Cuiabá, com experiência em hospitais de campanha, além dos profissionais do estado.

“Dificuldades a gente vai ter, infelizmente. A Covid-19 exige muito da equipe de atendimento, do paciente e da estrutura de saúde, é uma doença infecciosa que contamina muito fácil. Existem muitos casos, infelizmente, muitos vão acabar com complicações. Mas, estamos gerenciando para ter um plano de contingência para não deixar de ter um atendimento rigoroso e adequado. Recebemos EPIs, estamos organizando as equipes técnicas, enfim, tentando que esse processo fique mais tranquilo possível. É um trabalho extremamente intenso, problemas e intercorrências nesse processo de implantação ocorrem, mas estamos abertos ao Conselho, Sindicato e MP para sugestões e participação de vocês. Juntos vamos vencer esse processo, viemos para somar”, afirmou Ilson Lara.

Durante a reunião, os conselheiros presentes cobraram insistentemente a abertura do ambulatório para atendimento de pacientes com sintomas do Covid nas dependências do Into. Reforçaram que a situação da UPA do Segundo Distrito é muito complicada com número de atendimentos muito superior à capacidade da equipe médica e da estrutura do hospital e que a abertura do ambulatório no Into é a única solução no momento. Os médicos responsáveis pela Medial acolheram o pedido e o ambulatório deve ser aberto em uma semana. Os conselheiros comprometeram-se em cobrar da empresa e da Sesacre o cumprimento do prazo

O promotor Gláucio Oshiro solicitou informação sobre quantos leitos estão projetados para o hospital de campanha no Into e se existe uma data prevista para inauguração. Com relação ao contrato do estado com a empresa Medial, o promotor questionou se existe disposição para fazer aditivo caso seja necessário ampliação de leitos e hospitais de campanha.

Segundo o secretário Alysson Bestene o contrato com a empresa prevê o atendimento de 20 leitos de UTI e 40 leitos de enfermaria e 240 de pronto atendimento. “Há uma possibilidade de a gente estender o aditivo em até 50% dessa capacidade. Estamos analisando o momento que vivemos, inclusive para ampliação do hospital de campanha. A previsão de entrega é para 30 de maio a 10 de junho. A obra está com 60% levantada. Dependendo da demanda, vamos transformar as enfermarias do Into em leitos de UTI. Estamos em contato com o Ministério da Saúde para aquisição de respiradores e outros equipamentos, para que a gente tenha essa capacidade para, no máximo, em 15 dias ampliar esses leitos”, disse o secretário.

Ao final da reunião, a presidente do CRM agradeceu a participação e disponibilidade de todos para as discussões. “A gente queria conhecer a capacidade do Into e das demais unidades que estão prestado esse atendimento. Além de saber como está essa questão da empresa Medial e instalação dos leitos, foi muito importante essa discussão e agradeço por terem se disponibilizado para essa conversa. Fica aqui nosso pedido para que possam levar em consideração o que os conselheiros sugeriram, assim como os colegas do sindicato. E também gostaria de informar que foi feito um calendário de fiscalizações e dividido entre os conselheiros para que a gente possa acompanhar o trabalho, junto ao Ministério Público, nas unidades de saúde”, concluiu.

 
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner