Rede dos Conselhos de Medicina
CRM-AC realiza mais uma fiscalização no pronto-socorro de Rio Branco durante pandemia de Covid-19
Qua, 08 de Abril de 2020 16:58

Fiscalização ocorreu nesta terça-feira (7)

Em mais uma ação do cronograma especial de fiscalizações durante o período de pandemia da Covid-19, o Conselho Regional de Medicina do Acre (CRM-AC) fiscalizou, nessa terça-feira (7), o pronto-socorro de Rio Branco, uma das unidades referência no atendimento de casos da doença no estado. A medida segue orientação do Conselho Federal de Medicina.

Os conselheiros, Dr. Marcus Vinicius e Dr. Virgilio Prado, se reuniram com os médicos de plantão da unidade de saúde para averiguar as condições de trabalho e o fluxo de pacientes frente à pandemia do Novo Coronavírus.
O Acre tem 50 casos confirmados de Covid-19, segundo último boletim divulgado pela Secretaria de Estado de Saúde (Sesacre), nessa terça, quando também foi confirmada a segunda morte ocasionada pela doença. Dos casos confirmados, 39 são em Rio Branco, nove em Acrelândia, um em Plácido de Castro e um em Porto Acre.

“A fiscalização à unidade vai ser constante, pois a mesma é a principal referência no tratamento das Urgências e Emergências no Estado e agora o principal local de atendimento dos pacientes que evoluírem mais gravemente com relação ao Coronavírus”, afirmou o conselheiro Marcus Vinicius.
Foi constatado que a unidade precisa aumentar o efetivo das equipes de plantão. Na ocasião, os conselheiros sugeriram ainda algumas mudanças no fluxo de pacientes. Um relatório deve ser elaborado pelo CRM e encaminhado à Sesacre e à direção do pronto-socorro.

“Um ponto que podemos destacar é que o setor de ortopedia e traumatologia do pronto-socorro, mesmo em época de crise, conseguiu diminuir em 90%, o número de pacientes internados. Lógico que diminuiu o número de acidentes por conta das medidas de quarentena, mas além disso, o grupo de ortopedistas tem feito uma força tarefa para diminuir o tempo de internação dos pacientes para que os mesmos fiquem menos dias no hospital e, consequentemente, menos expostos à Covid -19. A média era de 80 pacientes internados e estavam com somente oito na enfermaria”, afirmou o conselheiro.

 
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner