Rede dos Conselhos de Medicina
Diretoria do CFM discute situação da saúde do Acre com governador do Estado

Diretoria do CFM discute situação da saúde do Acre com governador do Estado

A situação da saúde no Acre, com a apresentação de desafios e conquistas, foi o tema de uma reunião na sede do Governo do Estado, em Rio Branco (AC). Na oportunidade, uma comissão liderada pelo presidente do Conselho Federal de Medicina (CFM), Carlos Vital, debateu o assunto com o governador Tião Viana. O grupo incluiu ainda diretores e conselheiros da autarquia, além do presidente do Conselho Regional de Medicina, Virgílio Batista do Prado.

Tião Viana, que é médico infectologista, apresentou aos conselheiros do CFM e do CRM-AC algumas das ações que têm sido desenvolvidas pelo governo local no âmbito da saúde pública. Entre as preocupações expressas, está a qualificação da rede de atendimento, com a ampliação do acesso da população aos serviços de média e alta complexidade, e a instalação de saneamento básico nos municípios menores.

O governador também relatou preocupação com o desenvolvimento de uma linha de trabalho voltada para as comunidades indígenas. “Temos um projeto de políticas para com os povos indígenas, mesmo sendo essa uma responsabilidade federal. Investimos mais de R$ 50 milhões nesses povos, com a construção de mais de 70 escolas, além de reforçar a saúde e fomentar a produção na agricultura e criação de animais”, contou.

Durante o encontro, também foram abordadas questões como a elaboração de um novo Plano de Cargos, Carreiras e Remuneração (PCCR) para os médicos e a importância de o Governo do Estado ajudar na solução dos problemas apontados pelas fiscalizações feitas pelo CRM-AC em postos de saúde e hospitais. O pedido foi feito pelo conselheiro Virgílio Prado.

Após acompanhar a exposição feita pelo governador Tião Viana, o presidente do CFM afirmou que os relatos de avanços refletem um trabalho preocupado em inserir a saúde como parte de um projeto de desenvolvimento sustentável para a região. Carlos Vital disse ainda que os Conselhos Federal e Regional de Medicina estão prontos a contribuir com esse esforço, por meio de suas ações e envio de subsídios.

 
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner